Defesa quer liberar R$ 28 mi para combater incêndios na Amazônia

O montante está contingenciado, segundo o ministro Fernando Azevedo. Assunto foi combinado em reunião com Paulo Guedes

atualizado 24/08/2019 13:42

JP Rodrigues/ Metrópoles

Os ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e do Meio Ambiente, Ricardo Salles, explicaram, na manhã deste sábado (24/08/2019), a operação conjunta para combater os incêndios na Amazônia. Azevedo adiantou que a pasta quer a liberação de R$ 28 milhões para as ações na região que estão contingenciados.

O chefe da Defesa explicou que o assunto foi tratado em reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, na noite dessa sexta-feira (23/08/2019). “Fui responsável pela intervenção no Rio de Janeiro, na favela da Maré. Era R$ 1 milhão por dia. Então, esse dinheiro, se descontingenciar, já dá para o início, o primeiro mês. Depois, vamos ter que rever isso. [O descontingenciamento] Está combinado, mas eu estou em uma fase que só acredito quando abrir o cofre”, comentou Azevedo.

Até agora, os estados de Rondônia, Roraima, Pará e Tocantins enviaram solicitação de ajuda ao governo federal para o combate às queimadas. Há informações de que devem chegar pedidos de Mato Grosso e do Acre ainda neste sábado.

Os trabalhos começaram por Porto Velho (RO), segundo o ministro da Defesa. São cerca de 700 homens das Forças Armadas e duas aeronaves C130 de combate a incêndio, com capacidade de 12 mil litros de água, já em operação. Uma delegacia fluvial é empregada na ação, além de um destacamento especializado do Exército.

“Serão feitas ações preventivas e repressivas de combate a incêndios”, adiantou Azevedo.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) autorizou o emprego de operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), de 24 de agosto a 24 de setembro, para o combate aos incêndios na Amazônia Legal, conforme a demanda de governadores dos estados da região. O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União dessa sexta-feira.

O ministro da Defesa explicou que a GLO para o combate a incêndios é inédita. “Isso mostra o compromisso do governo [Jair] Bolsonaro com o meio ambiente”, apontou.

Últimas notícias