Covid-19: governo decide comprar vacinas da Pfizer e da Janssen

Imunizante da Pfizer é o único que tem registro definitivo aprovado pela Anvisa. Anteriormente, Bolsonaro se negou a fechar contrato

atualizado 03/03/2021 18:44

Grávida tomando vacinaBSIP/ GETTYIMAGES

O Ministério da Saúde decidiu, nesta quarta-feira (3/3), fechar a compra de doses das vacinas da Pfizer e da Janssen contra a Covid-19. O acordo deve ser firmado pelo governo de Jair Bolsonaro com ambas as farmacêuticas. A informação foi anunciada por representantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que se reuniram nesta quarta com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Com isso, os imunizantes devem ser entregues ao longo do ano. Ainda em fase de negociação, o contrato mais avançado é com a Pfizer. A fórmula desenvolvida pela empresa é a única que tem registro definitivo aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em nota, a CNM confirmou a decisão do governo. “A boa notícia é que teremos mais uma vacina com essa contratação, com as cláusulas não tínhamos como assumir. Mas nós conseguimos essa autorização [do Congresso] que vai nos dar essa possibilidade”, afirmou Pazuello, na reunião.

Com a medida, o ministro também citou ser possível negociar com a Janssen. Hoje, o Brasil tem vacinas da Coronavac e da Astrazeneca.

Anteriormente, a Pfizer tentou dar início às tratativas para a venda das doses ao Executivo federal, mas o mandatário da República não quis fechar acordo. O Ministério da Saúde chegou a dizer, em janeiro, que a proposta tinha exigências “leoninas” e também culpou a cláusula que previa a não responsabilização da farmacêutica americana por eventuais efeitos adversos causados pela vacina.

Esse modelo de contrato foi assinado por diversos países, incluindo os Estados Unidos e as nações europeias.

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar que estados e municípios adquiram vacinas caso o envio de doses pelo governo Jair Bolsonaro seja insuficiente, gestores locais passaram a se articular para fechar negócios por conta própria.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta quarta que irá comprar, por conta própria, 20 milhões de doses da vacina da Pfizer e 20 milhões de unidades da fórmula russa Sputnik V.

A pasta ainda disse que “já possui contratos alinhados” para a compra da vacina russa Sputnik V.

Últimas notícias