Cirurgia de Bolsonaro já dura mais de cinco horas

O presidente está no centro cirúrgico do Hospital Albert Einstein para retirar a bolsa de colostomia

atualizado 28/01/2019 12:56

Reprodução/Twitter

A cirurgia do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para retirada da bolsa de colostomia já dura mais de cinco horas. O presidente deu entrada no centro cirúrgico do Hospital Albert Einstein às 6h30 desta segunda-feira (28/1). O procedimento é comandado pelo médico gastroenterologista Antonio Luiz Macedo.

O presidente está internado desde domingo (27/1) para a retirada da bolsa de colostomia do intestino. Ele deve ficar no hospital por mais 10 dias para se recuperar completamente. Nas primeiras 48h, enquanto Bolsonaro estiver sob observação em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o presidente em exercício, Hamilton Mourão, vai comandar o Palácio do Planalto.

Em seguida, Bolsonaro pretende despachar de dentro do hospital. O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) montou uma estrutura com computador, telefone, internet e impressora para que o presidente possa trabalhar enquanto se recupera da cirurgia. A ideia é que ele se comunique com os demais ministros por videoconferência.

Em um primeiro momento, o general Augusto Heleno e o porta-voz do Planalto, Otávio Rêgo Barros, além de alguns auxiliares mais próximos do gabinete pessoal, viajaram a São Paulo. Eles ficarão hospedados em um hotel onde foi montado um pequeno “quartel-general” de apoio ao governo.

Ataque
Este é o terceiro procedimento cirúrgico ao qual o presidente se submete desde o ataque com uma facada na barriga, no dia 6 de setembro de 2018. O golpe atingiu o intestino e foi preciso colocar uma bolsa de colostomia no presidente.

O atentado aconteceu durante agenda da campanha presidencial em Juiz de Fora (MG). Adélio Bispo, responsável pelo crime, foi preso minutos depois e está detido no presídio federal de segurança máxima de Campo Grande (MS).

Últimas notícias