Ciro: “Bolsonaro age com preconceito para esconder bandidos”

O ex-candidato à Presidência criticou, por meio de sua assessoria, a fala do presidente de que "cearenses têm a cabeça grande"

Twitter/Reprodução

atualizado 22/02/2020 15:17

O ex-ministro e ex-candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT-CE) respondeu, via assessoria de imprensa, a fala do presidente da República, Jair Bolsonaro, que disse que “cearenses têm a cabeça grande”. Para o político cearense, o presidente, ao fazer a comparação, tenta tirar o foco das atenções sobre o motim de policiais no Ceará que, no seu entender, é formado por “bandidos armados que aterrorizam a população”.

“Bolsonaro age com preconceito para tentar tirar o foco de que bandidos armados, que aterrorizam a população cearense, sob as bençãos do presidente da República”, disse o político por meio de sua assessoria.

Neste sábado (22/02/2020), após ver um homem com chapéu de couro em Guarujá, litoral de São Paulo, Bolsonaro brincou com ele, antes de pegar o chapéu e colocar em sua cabeça. “O gauchão do Ceará aqui”, disse o presidente. “Por que todo cearense tem a cabeça grande?”, perguntou.

Esta não é a primeira vez que o presidente faz comentários a respeito de nordestinos. No ano passado, o presidente pediu uma “chuva de honestidade” para a região e foi flagrado em um diálogo no qual ele se referia ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), como o pior dos “governadores de paraíba”, utilizando o termo para generalizar a região.

Cid
Ciro esteve com o seu irmão, o senador Cid Gomes, no hospital, em Fortaleza, onde ele se recupera dos tiros que tomou na última quinta-feira, após tentar invadir o quartel da PM, em Fortaleza, usando uma retroescavadeira.

Cid está em observação, sem previsão de alta. Ele tem duas balas e um fragmento de munição alojados no tórax, de acordo com os médicos que o atendem, os projéteis não serão retirados em uma cirurgia.

Últimas notícias