Bolsonaro sobre governadores: “Medidas que não competem a eles”

Presidente da República disse que, como chefe de Estado, não pode sair gritando e dizer que todos vão morrer

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 20/03/2020 11:46

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o papel dele, neste momento de crise causada pela pandemia de coronavírus, é levar tranquilidade à população.

Em entrevista na porta do Palácio da Alvorada, na manhã desta sexta-feira (20/3), Bolsonaro voltou a criticar medidas tomadas por alguns governadores e disse que o pânico piora a situação.

“Eu não posso, como chefe de Estado, sair gritando: ‘vai morrer todo mundo’. Não tem jeito. Não podemos entrar nessa situação de pânico, piora a situação no Brasil”, defendeu. “Eu tenho que falar a verdade e transmitir tranquilidade ao povo brasileiro”, completou o presidente.

O fechamento de comércios, divisas, aeroportos, entre outros, voltou a ser alvo de críticas de Bolsonaro. “Tem certos governadores que estão tomando medidas extremas, que não compete a eles: fechar aeroporto, rodovias, shoppings, feiras. O comércio para e o pessoal não tem o que comer”, ponderou.

Últimas notícias