Bolsonaro pede ampliação de CPI a Kajuru. “Vai sobrar só pra mim?”

Em conversa com o senador Jorge Kajuru, o presidente defendeu que governadores e prefeitos também sejam investigados

atualizado 12/04/2021 9:17

Imagem do senador Jorge Kajuru e do presidente Jair Bolsonaro com legenda 'uma conversa justaFoto: Reprodução/YouTube

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) divulgou, nas redes sociais, uma conversa com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No diálogo, o chefe do Executivo defende que o parlamentar peça a ampliação da CPI da Covid. Em outras palavras, o mandatário do país solicita que os governadores e prefeitos também sejam investigados. 

A comissão instalada no Senado Federal deve apurar as omissões do governo federal no combate à pandemia. O assunto divide opiniões entre os parlamentares. Contudo, o ministro do Supremo Tribural Federal (STF) Luís Roberto Barroso determinou que a situação seja investigada. 

Na conversa, feita por ligação no último sábado (10/4), Bolsonaro comenta que as responsabilidades seriam todas dele. “Se não mudar o objetivo da CPI, ela vai vir para cima de mim. O que tem que fazer para ser uma CPI útil para o Brasil: mudar a amplitude dela, bota presidente da República, governadores e prefeitos”, afirmou. 

O Senado já recebeu um pedido para que a apuração seja feita em todo o país. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) apresentou requerimento que pede a extensão para gestores dos estados e municípios. 

0
Ações e impeachment

Na mesma linha de discurso, Jair Bolsonaro avalia que a CPI, como está, vai ouvir apenas pessoas relacionadas ao governo federal. “Vai simplesmente ouvir o Pazuello (ex-ministro da saúde), ouvir gente nossa, para fazer um relatório sacana.”

Além disso, o titular do Planalto incentiva e parabeniza ações contra o STF. O presidente comenta que Kajuru precisa “pressionar o Supremo para colocar em pauta o impeachment (de ministros) também”.

Em resposta, Kajuru ressalta que já fez isso. Na sexta-feira (9/4), o senador entregou pedido para que o ministro do STF Alexandre de Moraes seja investigado – e ganhou “parabéns” do chefe do Executivo. “Eu só queria que o senhor desse crédito a mim nesse ponto”, reclama o congressista. E  fala para o presidente não generalizar os parlamentares e separar  “o joio do trigo”.

Responsabilidade dos estados

Ainda na conversa, o presidente lembrou que “não vai deixar de morrer gente, infelizmente, no Brasil”. E culpa os governos estaduais pela quantidade exorbitante de mortes registradas todos os dias. 

“Poderia morrer menos gente se os governadores e prefeitos que pegam recurso aplicassem realmente em posto de saúde, hospital”, disse o mandatário do país.

Últimas notícias