Bolsonaro: para 2022 há uma chapa formada por um ladrão e um vagabundo

Ele fez críticas ao ex-presidente Lula, que admitiu pela primeira vez que será candidato ao Planalto contra Bolsonaro

atualizado 21/05/2021 11:23

Bolsonaro em AlagoasAlan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez críticas nesta sexta-feira (21/5) ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que afirmou, pela primeira vez, ser candidato à presidência na eleição de 2022.

“Serei candidato contra o Bolsonaro“, disse o petista em entrevista à revista francesa Paris Match divulgada na quinta-feira (20/5). Lula aparece como o favorito em algumas pesquisas de opinião.

Pesquisa feita pelo Instituto Vox Populi e divulgada com exclusividade pelo Metrópoles mostra que o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é o favorito para vencer as eleições presidenciais de 2022 no primeiro turno.

Na pesquisa estimulada, Lula vence com 43%; Bolsonaro atinge 24%. Mais distante aparecem Luciano Huck (8%) e Ciro Gomes (5%). Nesse caso, a soma de índice dos outros candidatos não chega ao número de Lula.

“Falando em política, para o ano que vem já tem uma chapa formada: um ladrão candidato a presidente e um vagabundo como vice”, provocou Bolsonaro durante evento no Maranhão.

Na quinta, Bolsonaro chamou Lula de “bandido que não tem um dedo”. O mandatário e seus filhos também têm se referido ao relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), como “vagabundo”. Renan é próximo de Lula e crítico de Bolsonaro.

Instalada no Senado e em funcionamento há cerca de um mês, a CPI investiga ações e omissões do governo federal no combate à pandemia.

Bolsonaro está no estado desde quinta-feira (19/5), acompanhado de ministros e parlamentares da região. Nesta sexta, ele participou de cerimônia de entrega de 17 mil títulos de propriedade rural no município Açailândia (MA).

É a terceira vez que Bolsonaro viaja ao Maranhão desde o início do mandato, a segunda somente este ano. Em outubro do ano passado, quando entregou obras na capital São Luís e em Imperatriz, o presidente fez um comentário homofóbico ao tomar um Guaraná Jesus, que tem a cor rosa.

Também estavam presentes na agenda presidencial os ministros Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura), Gilson Machado (Turismo)  e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), além do presidente da Caixa, Pedro Guimarães e do senador Roberto Rocha (PSDB-MA).

0

Últimas notícias