Bolsonaro chama Lula de “bandido que não tem um dedo”

Presidente criticou declaração do petista defendendo auxílio emergencial de R$ 600 para todos os beneficiários

atualizado 20/05/2021 18:13

presidente jair bolsonaro durante lançamento do Programa Gigantes do Asfalto no palácio do PlanaltoIgo Estrela/ Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar, nesta quinta-feira (20/5), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o chamou de “bandido que não tem um dedo”.

A fala foi feita durante evento de inauguração da ponte sobre o rio Parnaíba, entre os estados do Piauí e Maranhão. Iniciada em 2019, já na gestão Bolsonaro, a obra que liga as cidades de Alto Parnaíba e Santa Filomena vai beneficiar moradores das duas cidades produtoras de soja e milho, desativando o serviço de balsas para travessia do rio.

Em seu discurso, Bolsonaro criticou uma declaração do petista defendendo um auxílio emergencial de R$ 600 para todos os beneficiários. Atualmente, o valor médio do benefício é R$ 250, mas pode variar de R$ 150 a R$ 375 a depender da composição de cada família.

“Um bandido que não tem um dedo falou há pouco que ia dar auxílio emergencial de R$ 600 para todo mundo. Por que não fez lá atrás para todo mundo pelo Bolsa Família? Estamos trabalhando para que suba o valor médio do Bolsa Família, porque sabemos que houve inflação, que aumentou preço de muitas coisas”, explicou Bolsonaro.

De acordo com o chefe do Executivo nacional, o governo tem buscado soluções para que os brasileiros recuperem poder aquisitivo. “Mas passa pelo não fechamento do comércio”, declarou.

Outras críticas

Essa não é a primeira vez que Bolsonaro faz críticas ao petista. Na semana passada, em tom semelhante, chamou Lula de “ladrão de nove dedos”.

Também na semana passada, o presidente chamou o adversário político de “filho do capeta” e afirmou que, se Lula voltar a ser presidente do país, “nunca mais vai sair”.

“A canalhada da esquerda continua a mesma coisa. […] E uma turma ainda quer votar nesse filho do capeta aí. Olha, se esse cara voltar, nunca mais vai sair. Escreve aí”, disse Bolsonaro.

Mais lidas
Últimas notícias