Bolsonaro nega ataque à Lava Jato com juiz de garantias

Presidente rebateu críticas que recebeu na internet por não ter vetado o dispositivo incluído pelo Congresso no pacote anticrime

atualizado 04/01/2020 19:28

Michael Melo/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) rebateu críticas recebidas pela internet por não ter vetado o dispositivo que institui o juiz de garantias no pacote anticrime aprovado pelo Congresso no fim de dezembro de 2019. Em transmissão ao vivo pelo Facebook na tarde deste sábado (04/01/2020), o presidente negou que tenha intenção de enfraquecer a operação Lava Jato. 

“Desceram o cacete sem fundamento. Eu tive dificuldade para entender o juiz de garantias, com gente especialista de verdade do meu lado. Me parece que está pacificada a questão. Não houve nenhum ataque à Lava Jato. É uma lei agora que vai demorar anos para ser colocada em prática”, afirmou. 

O veto ao dispositivo foi sugerido pelo ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, após avaliar que haveria dificuldade na implementação. Bolsonaro, porém, ouviu outros membros do alto escalão para tomar a decisão. 

O juiz de garantias será um magistrado responsável pela supervisão de uma investigação e não julgará o caso em questão. 

Últimas notícias