Bolsonaro mostra acomodações em viagem ao RJ e diz que “poderia pagar”

Presidente tem mostrado incômodo com críticas em relação aos gastos com cartão corporativo. Ele está em Resende para formatura de aspirantes

atualizado 27/11/2021 13:07

Jair BolsonaroReprodução/Facebook

Incomodado com as críticas em relação aos valores gastos com o cartão corporativo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mostrou, neste sábado (27/11), a acomodação do Hotel de Trânsito e Oficiais, em Resende, no Rio de Janeiro, e afirmou que “poderia pagar sem problema nenhum”, mas que estava pagando com o cartão corporativo.

“Àqueles que reclamam, aqui é pago, né, com o cartão corporativo. Eu podia pagar sem problema nenhum. O preço do pernoite aqui é R$ 90, Hotel de Trânsito de Oficiais de Resende”, disse Bolsonaro, em vídeo, divulgado nas redes sociais.

Veja:

“Daqui a pouco, o evento de formatura dos jovens futuros aspirantes do nosso Exército brasileiro. Com muita honra e satisfação, estou aqui e muito feliz. Mais uma vez, obrigado a Deus pela missão e obrigado vocês pela confiança”, acrescentou.

0

O presidente participa, na manhã deste sábado, da cerimônia de entrega de espada e declaração de aspirantes da turma “Dona Rosa da Fonseca”, em Resende, no Rio de Janeiro, onde cumpre agenda desde a sexta-feira (26/11). Ele retorna a Brasília após o evento.

Na manhã desta sexta-feira (26/11), em conversa com apoiadores, Bolsonaro já havia se queixado de notícias sobre gastos com o cartão corporativo da Presidência da República, os quais registraram aumento em 2021. O mandatário disse haver uma “maldade enorme da imprensa” com a questão.

“Por exemplo, tem umas 50 emas aqui [no Palácio da Alvorada]. Você quer que eu pague do meu salário a ração pra ema? Vai no cartão corporativo”, disse ele, na ocasião.

Aumento dos gastos

Em outubro, o Metrópoles mostrou que o governo federal atingiu o maior gasto com cartão corporativo desde 2018. Só nos primeiros nove meses de 2021, o total alcançou R$ 204,8 milhões, 19,9% acima do que foi gasto no ano passado inteiro.

Em todo o ano de 2020, a gestão Bolsonaro consumiu R$ 170,7 milhões com cartões corporativos. Em 2019, foram desembolsados R$ 198,2 milhões.

O valor gasto em 2021 só não supera 2018, último ano do governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), quando o montante chegou a R$ 244,8 milhões.

Mais lidas
Últimas notícias