Bolsonaro mantém visita a Mato Grosso do Sul mesmo após internação

Presidente passou a noite no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília (DF), após sentir desconforto abdominal

atualizado 29/03/2022 10:04

Presidente Bolsonaro em inauguração do Reservatório do Ipiranga, em São Paulo. Ele sorri em meio a uma multidão com celulares - MetrópolesFabio Vieira/Metrópoles

Após receber alta médica no início da manhã desta terça-feira (29/3), o presidente Jair Bolsonaro (PL) manteve a agenda do dia, que prevê compromissos em Ponta Porã (MS).

O mandatário passou a noite no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília (DF), após se sentir mal na segunda-feira (28/3). Bolsonaro teve desconforto na região abdominal, recebeu atendimento inicial de médicos da equipe presidencial e, logo depois, foi levado para o hospital militar para realizar exames.

As suspeitas dos médicos eram de novo quadro de obstrução intestinal, que já o acometeu em outras ocasiões por causa da facada que recebeu em 2018. Ainda não foi divulgada nota oficial sobre o estado de saúde do presidente, mas o ministro das Comunicações, Fábio Faria, que confirmou a alta, disse que Bolsonaro está “super bem”.

Bolsonaro deixou o hospital por volta das 6h30 e o comboio presidencial se dirigiu à residência oficial, o Palácio da Alvorada. Antes das 9h, o presidente se dirigiu à Base Aérea de Brasília para a agenda em Mato Grosso do Sul.

Antes de desembarcar no estado, o presidente publicou vídeo ao lado da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que o acompanha na agenda:

Em outro vídeo, o ministro Fábio Faria diz que o presidente está “zerado”, ao que o mandatário adiciona: “Pronto para o combate”.

Em Ponta Porã, o presidente vai participar de cerimônia de regularização fundiária, com entrega de títulos de propriedade rural a assentados da região e inauguração de pontos de wi-fi em escolas.

Ele retorna a Brasília no meio da tarde. Às 15h30, tem reunião prevista com Pedro Cesar Sousa, Subchefe para Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Seis cirurgias

Desde que sofreu um atentado a faca na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro foi submetido a seis cirurgias. Duas delas não tiveram relação com a facada: uma vasectomia e uma retirada de cálculo na bexiga.

0

Em janeiro deste ano, Bolsonaro divulgou uma foto com sonda nasogástrica após ser internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. Na ocasião, o presidente interrompeu as férias no litoral catarinense e deu entrada no hospital na capital paulista, onde já ficou internado em outras ocasiões.

Após alguns dias de internação, ele recebeu alta hospitalar sem a necessidade de procedimento cirúrgico.

Veja o histórico de cirurgias:

Procedimentos relacionados à facada:

  • 6 de setembro de 2018: Após a facada, Bolsonaro fez primeira cirurgia na Santa Casa de Juiz de Fora (MG). Ele teve lesões nos intestinos delgado e grosso e passou por uma cirurgia que durou cerca de 2 horas. O intestino foi ligado a uma bolsa de colostomia.
  • 12 de setembro de 2018: Em São Paulo, Bolsonaro passou por uma segunda cirurgia, considerada de emergência, para reparar uma obstrução no intestino. O procedimento durou cerca de 1 hora e foi considerado bem-sucedido.
  • 28 de janeiro de 2019: Já na Presidência da República, Bolsonaro realizou cirurgia para retirada da bolsa de colostomia colocada após facada. Foram retirados de 20 a 30 centímetros do intestino grosso de Bolsonaro na parte que ligava o intestino delgado à bolsa de colostomia.
  • 8 de setembro de 2019: Para corrigir uma hérnia na cicatriz de uma operação anterior, Bolsonaro foi submetido a uma nova cirurgia. A hérnia ocorreu em razão das últimas três cirurgias. O procedimento, considerado de médio porte.

Procedimentos não-relacionados à facada:

Mais lidas
Últimas notícias