Bolsonaro recebe alta médica após passar a noite em hospital

Com suspeita de nova obstrução intestinal, presidente teria sentido indisposição no Palácio do Planalto e fez exames

atualizado 29/03/2022 7:50

Presidente Bolsonaro coça o nariz em meio a fala. Ele usa terno e olha preocupado para baixo - MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu alta médica na manhã desta terça-feira (29/3), após passar a noite no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília (DF). O mandatário da República se sentiu mal quando ainda estava no Palácio do Planalto, com desconforto na região abdominal, recebeu atendimento inicial de médicos da equipe presidencial e, logo depois, foi levado para o hospital militar para realizar exames.

As suspeitas dos médicos eram de novo quadro de obstrução intestinal, que já o acometeu desde que levou a facada, em 2018.

Bolsonaro deixou o hospital por volta das 6h30 e o comboio presidencial se dirigiu à residência oficial, o Palácio da Alvorada. Para esta terça, há previsão de agenda em Ponta Porã (MS), para onde ele deve embarcar às 9h.

Em uma publicação no Twitter, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, noticiou a alta do chefe do Executivo.

O presidente era aguardado na noite de segunda-feira (28/3) para a cerimônia de filiação de dois de seus ministros – Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) e Damares Alves (Família, Mulher e Direitos Humanos) – ao Republicanos, mas, devido ao mal-estar, não compareceu.

Internado nas férias

Em janeiro, Bolsonaro divulgou uma foto com sonda nasogástrica após ser internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo. Na ocasião, o presidente interrompeu as férias no litoral catarinense e deu entrada no hospital na capital paulista, onde já ficou internado em outras ocasiões.

Em boletim médico, o hospital informou que o presidente estava com um quadro clínico de suboclusão intestinal – ou seja: novamente a obstrução intestinal.

Após uma semana internado, ele recebeu alta hospitalar sem a necessidade de nova cirurgia.

Seis cirurgias

Desde que sofreu um atentado a faca na campanha eleitoral de 2018, Bolsonaro foi submetido a seis cirurgias. Duas delas não tiveram relação com a facada: uma vasectomia e uma retirada de cálculo na bexiga.

Veja o histórico:

Procedimentos relacionados à facada:

  • 6 de setembro de 2018: Após a facada, Bolsonaro fez primeira cirurgia na Santa Casa de Juiz de Fora (MG). Ele teve lesões nos intestinos delgado e grosso e passou por uma cirurgia que durou cerca de 2 horas. O intestino foi ligado a uma bolsa de colostomia.
  • 12 de setembro de 2018: Em São Paulo, Bolsonaro passou por uma segunda cirurgia, considerada de emergência, para reparar uma obstrução no intestino. O procedimento durou cerca de 1 hora e foi considerado bem-sucedido.
  • 28 de janeiro de 2019: Já na Presidência da República, Bolsonaro realizou cirurgia para retirada da bolsa de colostomia colocada após facada. Foram retirados de 20 a 30 centímetros do intestino grosso de Bolsonaro na parte que ligava o intestino delgado à bolsa de colostomia.
  • 8 de setembro de 2019: Para corrigir uma hérnia na cicatriz de uma operação anterior, Bolsonaro foi submetido a uma nova cirurgia. A hérnia ocorreu em razão das últimas três cirurgias. O procedimento, considerado de médio porte.

Procedimentos não-relacionados à facada:

Mais lidas
Últimas notícias