Bolsonaro ironiza linguagem neutra na Argentina: “Há desempregue”

Presidente brasileiro disse que essa é “apenas mais uma forma de dividir o país” e citou a deterioração econômica no país vizinho

atualizado 03/08/2022 12:40

Presidente da República, Jair Bolsonaro durante coletiva sobre combustíveis no palacio planalto Igo Estrela/Metrópoles

Em publicação nas redes sociais, na noite de terça-feira (2/8), o presidente Jair Bolsonaro (PL) ironizou a oficialização da linguagem neutra na Argentina, afirmando que a única mudança provocada é que agora há “desabastecimente”, “pobreze” e “desempregue”. A situação econômica argentina tem sido constantemente citada pelo mandatário brasileiro como exemplo do caminho que o Brasil pode seguir.

Na semana passada, a imprensa argentina informou que o Ministério de Obras Públicas da Argentina oficializou o uso da linguagem neutra nos documentos, registros e atos administrativos. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União argentino de 28 de julho.

A linguagem neutra propõe o uso de um gênero neutro na comunicação. Na língua portuguesa, a mudança é tema de projeto de leis em 19 estados brasileiros e no Distrito Federal, de acordo com levantamento feito pela Agência Diadorim. No total, 34 propostas têm por objetivo impedir a variação gramatical para além do gênero feminino e masculino.

Distrito Federal, Minas Gerais, Paraíba, Espírito Santo, Santa Catarina, Pernambuco e Rio de Janeiro lideram a lista na quantidade de propostas de lei, cada unidade federativa com três. Regionalmente, o Sudeste é onde existem mais proposições (11), seguido do Nordeste (10), e do Sul e Centro-Oeste, ambos com seis. No Norte, além de Rondônia, o Amazonas discute o assunto.

Mais lidas
Últimas notícias