Bolsonaro insiste em cloroquina e pede ministros “alinhados” com governo

Presidente disse que, no seu entendimento e de médicos que conversou, deve ser liberado para quem está no grupo de risco do coronavírus

atualizado 13/05/2020 10:21

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender nesta quarta-feira (13/05), em frente ao Palácio da Alvorada, o uso da hidroxicloroquina desde o início do tratamento da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

“No meu entendimento e de médicos que ouvi, deve ser usada desde início para aqueles que integram grupo de risco. Se fosse minha mãe, de 93 anos, ela usaria”, disse o presidente.

“Enquanto não temos algo comprovado no mundo, temos esse no Brasil, que pode dar certo. Mas, como a pessoa não tem cinco dias pra decidir, a pessoa pode usar”, completou.

0

Apesar de Bolsonaro defender o uso do medicamento, o ministro da Saúde, Nelson Teich, já disse que a cloroquina apresenta riscos.

Nessa terça-feira (12/05), pelo Twitter, o chefe da pasta afirmou que os pacientes com receita médica para o uso da cloroquina no tratamento da Covid-19 devem entender os riscos associados ao medicamento e assinar um termo de consentimento.

Sem citar o ministro da Saúde, Nelson Teich, chefe do Executivo disse que todo os ministros devem estar “afinados comigo”. O presidente destacou que foram escolhidos por ele mesmo.

“São indicações políticas minhas. Eu quero eficácia na ponta da linha. Temos centenas de morte por dia e se existe possibilidade de diminuir o número de morte com cloroquina, vamos usá-la”, argumentou.

Últimas notícias