Nelson Teich diz que paciente deve assinar termo antes de usar cloroquina

Ministro usou o Twitter para explicar que o remédio pode ser receitado, mas tem efeitos colaterais e é preciso avaliação de cada caso

atualizado 12/05/2020 15:55

Ministro da saúde, Nelson Teich, em coletiva de imprensa em 28/04Igo Estrela/Metrópoles

O ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou nesta terça (12/05), pelo Twitter, que os pacientes com receita médica para o uso da cloroquina no tratamento da Covid-19 devem entender os riscos associados ao medicamento e assinar um termo de consentimento.

“Um alerta importante: a cloroquina é um medicamento com efeitos colaterais. Então, qualquer prescrição deve ser feita com base em avaliação médica. O paciente deve entender os riscos e assinar o ‘termo de consentimento’ antes de iniciar o uso da cloroquina”, escreveu Teich.

Os médicos podem receitar a cloroquina em pacientes com a doença, segundo o Ministério da Saúde, mas a pasta não recomenda oficialmente o uso.

A maioria dos estudos feitos até o momento com o medicamento não apresentou resultados fortes o suficiente para que o governo aceite a cloroquina como tratamento padrão contra a Covid-19.

Pesquisas iniciais mostravam uma diminuição no tempo de internação, mas essa informação não foi confirmada por estudos maiores feitos ao redor do mundo.

Uma das principais preocupações dos médicos é quanto aos efeitos colaterais da cloroquina, como a arritmia cardíaca, que pode levar a um infarto — pacientes cardiopatas já fazem parte do grupo de risco da doença.

0

Últimas notícias