Bolsonaro diz que pediu a Putin para libertar brasileiro preso na Rússia

Motorista do jogador Fernando, Robson Oliveira está preso desde fevereiro de 2019 por entrar no país com remédio proibido

atualizado 29/10/2020 23:12

Reprodução/Redes Sociais

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que já mandou uma carta ao presidente da Rússia, Vladmir Putin, pedindo que o motorista Robson Oliveira, brasileiro que foi preso no ano passado ao entrar no país portando um remédio de uso não liberado, seja libertado da prisão. O brasileiro ainda afirmou que pode ligar ao colega russo para reforçar o pedido.

O motorista levava o medicamento Mytedom 10mg (cloridrato de metadona) para utilização pelo sogro do meio-campista Fernando, que hoje mora na China.

Robson era motorista do jogador e está detido na Rússia desde fevereiro de 2019.

“Mandamos uma carta endereçada ao senhor Vladimir Putin tratando desse assunto aí. Realmente, a gente imagina que uma pessoa está sofrendo por uma coisa que ele fez de boa-fé e jamais poderia imaginar que aquele medicamento, que ele estava levando para uma pessoa lá, no caso o sogro do jogador Fernando, era proibido”, disse Bolsonaro.

O presidente relatou que chegou a se informar sobre o caso em uma ligação para o jogador. “Conversei com o jogador Fernando, se não me engano ele é gaúcho. Ele estava triste, e com razão. Por vários motivos. Primeiro, que essa pessoa que trabalhava com ele está detida. E outra, com comentários maldosos que existiam no Brasil como se ele fosse insensível a essa prisão”, relatou Bolsonaro.

Ele (Fernando) fez o possível. Prestou depoimento, foi tudo esclarecido da parte dele, mas a Justiça da Rússia não entendeu dessa maneira, e a pena para esse tipo de crime lá é bastante severa. Uns 20 anos de detenção. Já houve precedente, e nós vamos, se for o caso, conversar com o presidente Vladmir Putin, para ver se liberta o garoto”, disse o presidente, em transmissão ao vivo, nesta quinta-feira (29/10).

O senador Nelsinho Trad (PSD-MS) foi o portador da carta do presidente e viajou para a Rússia. O parlamentar chegou ao país na quarta-feira e deve ficar até o sábado. Nesta quarta-feira, o senador se encontrou com o vice-ministro Sergey Ryabkov e entregou a carta, a pedido de Bolsonaro.

0

 

 

 

 

Últimas notícias