Bolsonaro diz que filiação ao Patriota está avançada e “quase certa”

Presidente comparou situação a um casamento: “Tem que planejar bem”. Filho Flávio Bolsonaro se filiou recentemente à legenda

atualizado 17/06/2021 12:09

Presidente do Patriota e Jair BolsonaroMarcos Corrêa/PR

Em interação com apoiadores na manhã desta quinta-feira (17/6), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que as negociações com o Patriota estão avançadas e a filiação à sigla está “quase certa”.

“Tá bastante avançado, tá quase certo aí. Mas é igual a um casamento, tem que planejar bem para não dar problema”, disse Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada.

No fim de maio, o senador Flávio Bolsonaro (RJ) se filiou à legenda e abriu caminho para a entrada do pai.

O mandatário também fez uma piada com o número da sigla, associado a uma marca brasileira de cachaça, e fez referência direta ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Já imaginou eu no Patriota com o número 51? Eu acho que aquele cara vai votar em mim, aquele cara vai votar em mim”, afirmou, aos risos.

A conversa de Bolsonaro com apoiadores foi registrada por um canal no YouTube simpático ao presidente. As declarações foram feitas antes de viagem ao Rio de Janeiro, onde o presidente cumpre agenda nesta quinta. Ele tem um almoço com empresários do ramo de supermercados no hotel Windsor, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade.

Bolsonaro está sem partido desde novembro de 2019. Quando saiu do PSL, anunciou intenção de criar uma agremiação própria, o Aliança pelo Brasil. A tentativa, no entanto, foi frustrada em razão do número de assinaturas necessárias, que não seria obtido a tempo das eleições de 2022.

O presidente vem buscando outra sigla para se filiar e chegou a cogitar a possibilidade de retornar ao PSL, mas coloca como condição para o retorno a expulsão de desafetos.

Na quarta-feira (16/6), o presidente se reuniu com mais de 30 deputados federais do PSL que devem migrar para o partido que o chefe do Executivo for. O encontro, que também contou com a presença do ministro Ricardo Salles, discutiu o futuro partidário do grupo do presidente.

Segundo apurou o colunista Igor Gadelha, a maioria dos deputados deixou o pragmatismo falar mais alto e disse ao presidente que preferia estar filiada a um partido que tenha tempo de TV relevante na propaganda eleitoral em 2022. Não é o caso do Patriota, uma sigla nanica que conta com apenas seis deputados federais e um senador — o recém-filiado Flávio Bolsonaro.

O presidente admitiu aos parlamentares que a possível filiação ao Patriota está em negociação avançada. Mas, diante da resistência dos aliados, fez questão de ressaltar que ainda não bateu 100% o martelo sobre o futuro partidário.

Nesta quinta-feira, em entrevista à Jovem Pan, o senador Flávio afirmou que as divergências existentes no Patriota podem ser sanadas com tranquilidade. “São coisas muito menores perto do grande projeto caso o presidente vá para lá”, garantiu.

Ele afirmou estar trabalhando pela filiação do pai e disse que o presidente não abre mão de ter segurança e autonomia no novo partido, destacando que o presidente quer, entre outras coisas, poder escolher quem serão os governadores, os senadores e deputados candidatos pela legenda ou apoiados. “O presidente não abre mão de ter a palavra final”, completou.

0

Mais lidas
Últimas notícias