Bolsonaro diz não entender bom desempenho de governadores em pesquisas

Presidente declarou que não consegue entender por que governadores que tomaram medidas restritivas têm apoio de parte da população

atualizado 14/01/2022 18:32

Na imagem colorida, um homem está posicionado no centro. Ele uda terno e gravata em cor azul escuro, camiseta branca e está com a mão na cabeça enquanto olha para o lado inferior esquerdoGustavo Moreno/Especial Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) comentou, na manhã desta sexta-feira (14/1), as pesquisas que colocam “governadores que fecharam estabelecimentos” em bons lugares. O chefe do Executivo federal disse não conseguir entender “essa parte da população” que apoia os mandatários estaduais.

A declaração foi feita em entrevista à Rádio Uirapuru Jaguaribana, do Ceará, na quinta-feira (13/1) e transmitida nesta sexta (14/1).

Bolsonaro comentava a respeito das medidas restritivas que governadores adotaram, ao longo do ano de 2020, para frear o contágio pela Covid-19, como o fechamento de estabelecimentos, incluindo igrejas.

“Como a questão de religião. Eu acho que o governador do Ceará também fechou igreja. Qual o último refúgio de uma pessoa que está desesperada?”, questionou o presidente.

“A gente fica sabendo que essas pessoas, em outros estados que tomaram atitudes como essa, vão disputar a reeleição, vão para o Senado, e estão bem posicionadas em pesquisas. Não consigo entender essa parte da população”, disparou Bolsonaro.

Atualmente,  o Ceará é governado pelo petista Camilo Santana. O presidente frequentemente acusa os chefes dos Executivos estaduais de terem “acabado” com a economia devido às medidas restritivas e ao isolamento social.

Nesta semana, Bolsonaro chamou o governador do Maranhão de “gordo” e “ditador”, pelas medidas restritivas que Flávio Dino (PSB) decretou no estado.

“Vocês repararam que, em países comunistas, geralmente o chefe é gordo? Coreia do Norte, Venezuela? Gordinho, né? Maranhão?”, disse Bolsonaro a apoiadores na chegada ao Palácio da Alvorada, no fim da tarde de terça-feira (11/1), arrancando risadas dos simpatizantes.

Dino rebateu o presidente. O maranhense escreveu no Twitter que a “piada”, além de sem graça, é repetida.

Mais lidas
Últimas notícias