Após convite, Regina Duarte afaga Bolsonaro: “Respeito pelo povo”

Convidada pelo presidente para ocupar o cargo de Secretária Especial de Cultura, atriz se comprometeu a responder até segunda-feira

Reprodução/Gshow

atualizado 18/01/2020 15:37

Convidada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para ocupar o cargo de Secretária Especial de Cultura, a atriz Regina Duarte elogiou o governo neste sábado (18/01/2020). Ela se comprometeu a responder até segunda-feira (20/01/2020), se aceitará a função.

Em sua conta oficial no Instagram, Regina Duarte publicou um elogio ao governo de Bolsonaro. “Nunca é demais lembrar o tanto de respeito que esse governo tem pelo seu povo”, escreveu. A artista é próxima da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

A atriz, uma das veteranas da Rede Globo, pontuou ainda as “melhorias” da gestão Bolsonaro em 10 meses à frente do Palácio do Planalto. Entre os destaques, a reforma da Previdência e a queda de homicídios e estupros.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Bom dia . Nunca é demais lembrar o tanto de respeito que este governo tem pelo seu povo .

Uma publicação compartilhada por Regina (@reginaduarte) em

Ela ainda comemorou acordos internacionais “sem viés ideológico” e a criação de 770 mil empregos formais. O elogio foi interpretado como uma pista da possível aceitação do convite para a Cultura.

Regina também compartilhou uma fala do ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, sobre a citação nazista de Alvim. “Fantástica, e até emocionante, a reação de intelectuais, artistas, historiadores, professores, estudantes, militares e da nação como um todo, ao infeliz resgate de pensamentos nazistas.Mostra uma face da convicção e do apego de nosso povo à democracia e às liberdades individuais”, disse o ministro.

A atriz foi convidada para o cargo após a demissão do secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, no início da tarde desta sexta-feira (17/01/2020).

Entenda o caso
Alvim centralizou uma severa crise após usar trechos de discurso do ministro da Propaganda do governo de Adolf Hitler, Joseph Goebbels. A fala gerou crise política e diplomática.

Regina Duarte foi convidada para o cargo anteriormente, mas havia recusado a proposta. A atriz é conhecida por se alinhar a discursos de direita, tendo sido figura marcante nas manifestações favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff (PT) e declarado publicamente apoio a Bolsonaro.

A interlocutores, Regina Duarte teria dito que estava animada com o convite, mas em dúvida se deveria aceitar o cargo. O presidente Bolsonaro telefonou para Regina e fez o convite.

Até a definição do novo secretário, assume interinamente José Paulo Soares Martins. Atual secretário-adjunto da Cultura, ele havia chefiado a pasta após a exoneração de Henrique Pires, em agosto de 2019.

Últimas notícias