Apesar de apelo da Saúde, Bolsonaro toca nas mãos de apoiadores

O presidente contrariou uma recomendação da OMS de evitar usar as mãos em saudações para combater o alastramento do coronavírus no mundo

atualizado 15/03/2020 14:14

Bolsonaro cumprimenta apoiadores em frente ao Planalto durante atos de 15 de marçoReprodução

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), cumprimentou apoiadores do ato pró-governo em Brasília, neste domingo (15/03), com as mãos. O Ministério da Saúde, seguindo orientações da Organização Mundial da Saúde, havia sugerido não utilizar as mãos nas saudações para evitar o alastramento do coronavírus no mundo.

De quarentena, Bolsonaro acompanhou o protesto contra o Congresso Nacional da rampa do Palácio do Planalto. No entanto, apoiadores foram para a frente do local e gritaram hinos a favor do presidente. O chefe do Executivo decidiu, então, descer a rampa e ficar próximo aos manifestantes.

O contato de Bolsonaro com apoiadores foi transmitido em uma live no perfil oficial dele no Facebook. Antes de se aproximar dos militantes, ele afirmou que o coronavírus estava “super dimensionado”, mesmo depois do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, divulgar recomendações para o combate da infecção.

Recentemente, Bolsonaro assinou uma medida provisória que prevê R$ 5,1 bilhões para o custeio de unidades de saúde básica e leitos de internação para as vítimas do Covid-19. O Congresso agora vai analisar o pedido do crédito extraordinário.

Além de cumprimentar apoiadores com as mãos fechadas e dar vários apertos de mão, Bolsonaro ainda pegou diversos celulares de manifestantes e tirou selfies.

Na quinta-feira (14/03), Bolsonaro sugeriu a apoiadores que repensassem os atos deste domingo devido ao avanço do coronavírus no país.

Últimas notícias