Em quarentena, Bolsonaro acena com bandeira do Brasil no Planalto

O presidente deixou o Palácio da Alvorada de carro e passou pela manifestação na Esplanada dos Ministérios a seu favor neste domingo

atualizado 15/03/2020 14:38

Presidente Jair Bolsonaro comprimenta manifestes em frente ao Palácio do PlanaltoMyke Sena/ especial para o Metrópoles

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), deixou o Palácio da Alvorada de carro e passou pela manifestação que ocorre na Esplanada dos Ministérios, na manhã deste domingo (15/03).

O chefe do Planalto não parou nem abriu o vidro do veículo, mas foi saudado por um buzinaço dos manifestantes. Segundo a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, trata-se de um “compromisso pessoal”.

A sua passagem também formou uma carreata informal, com muitos automóveis seguindo o comboio presidencial. O destino de Bolsonaro não foi informado à imprensa. No retorno, Bolsonaro dirigiu-se ao Palácio do Planalto, onde estava no início da tarde deste domingo.

Com uma camiseta da seleção brasileira, ele acenou aos manifestantes. Ao seu lado estava o lutador de MMA Borrachinha.

Manifestantes ignoram coronavírus

Apoiadores do presidente ignoraram a própria recomendação de Bolsonaro e foram às ruas em diversas cidades do país neste domingo (15/03) contra o Congresso Nacional e a favor do governo federal.

Foram registrados, até o momento, protestos no Distrito Federal, em Salvador, em Ribeirão Preto, em Belém e no Rio de Janeiro. A manifestação de São Paulo está marcada para esta tarde.

De máscaras, bolsonaristas marcham com blusas verde e amarelo e levantam a bandeira do Brasil. Bolsonaro, que tentou desmobilizar os grupos por conta do alastramento do coronavírus, usou o Twitter neste domingo para compartilhar os momentos de protestos pelo Brasil.

Na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, o ato reuniu ao menos 300 manifestantes, que além de criticarem o Parlamento, pediram o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF). “Contra o vírus do STF e do Congresso, álcool gel e fogo. Foda-se”, pediam, em cartazes.

0

Em Belém, pessoas foram às ruas também em cima de motocicletas para criticar o Parlamento e defender as ações do Executivo. Nas imagens, os participantes aparecem sem máscaras e com cartazes a favor do governo.

Em frente à praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, milhares de manifestantes ignoraram o coronavírus e protestaram com carros de som. A ciclovia já estava tomada por apoiadores de Bolsonaro por volta das 10h.

Já em Ribeirão Preto, o deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP), aliado e amigo do presidente, aproveitou o momento para gravar imagens para as redes sociais e tirar fotos com apoiadores. No Twitter, ele pediu desculpas a Bolsonaro por ter ido às ruas.

Últimas notícias