“André Mendonça seria excelente ministro do STF”, diz Jorge Oliveira

Segundo o secretário-geral da Presidência, o ministro da AGU é "extremamente" qualificado para o cargo, independentemente de religião

atualizado 15/07/2019 15:16

André MendonçaRafael Carvalho/Governo de transição

O secretário-geral da Presidência, Jorge Oliveira, disse nesta segunda-feira (15/07/2019) que o chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), André Mendonça, cotado para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), é “extremamente” qualificado para ocupar a cadeira.

Na ocasião, Oliveira se referiu a Mendonça com uma série de elogios e afirmou que o nome dele não foi cogitado somente pela religião, mas sim pela postura e conhecimento técnico na área. “Eu sei que a pauta não é pelo fato dele ser evangélico, mas pelos valores que tem, a postura dele e, sobretudo, pelo conhecimento. Eu tenho certeza que, assim como ele é um excelente advogado-geral da União, seria um excelente ministro do Supremo, do STJ ou de qualquer posição”, disse.

Na semana passada, durante culto religioso na Câmara dos Deputados, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que indicaria um ministro “terrivelmente evangélico” ao STF. Nesta manhã, sem sessão solene no plenário da Câmara, o chefe do Executivo brincou com Mendonça ao dizer que é o ministro extremamente religioso do governo, reforçando as especulações da indicação.

Questionado pela imprensa, Oliveira disse que a antecipação da discussão por Bolsonaro não vai desgastar o nome de Mendonça na AGU e que as declarações prematuras fazem parte do perfil do chefe do Executivo. “O presidente é muito sincero, muito direto nas palavras e não faz essa média política, sempre agiu assim em todas as situações. O ministro André tem uma conduta pessoal e profissional que é irreprovável em todos os sentidos. Não vejo porque isso desgastaria o nome dele”, afirmou.

“Na verdade, eu interpreto a fala do presidente de uma maneira muito positiva. O que ele está buscando são valores. Então, os evangélicos, em geral, têm um perfil conservador, de valores com a família, e a religião traz esse mote de princípios que a sociedade vem perdendo ao longo dos anos”, completou.

Além disso, ele comentou que, em respeito aos ministros que ocupam cadeira atualmente no STF, a nomeação só ocorrerá no ano que vem e lembrou que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, também é um dos cotados para o cargo. “É uma opção a mais que ele tem dentro dos vários nomes que possa ocupar cadeira no STF, como o Sergio Moro, do qual também sou admirador pela pessoa e cadeira”, finalizou.

 

Últimas notícias