Putin quer ações “práticas” dos Brics contra crime internacional

O presidente da Rússia ressaltou a necessidade de se elaborar regras mais precisas para prevenir a propagação de ideologia terrorista

Andre Borges/Esp. MetrópolesAndre Borges/Esp. Metrópoles

atualizado 14/11/2019 13:18

Ao discursar durante a 11ª Cúpula do Brics nesta quinta-feira (14/11/2019), o presidente da Rússia, Vladmir Putin, cobrou que os países do grupo tenham uma postura mais “prática, rigorosa e comprometida” com uma agenda internacional positiva na Organização das Nações Unidas (ONU).

O russo destacou a necessidade de se elaborar regras e normas mais precisas com o objetivo de “prevenir a propagação de uma ideologia terrorista”. “Acho que os países do Brics devem ser mais práticos em se tratando de liderança da ONU. Deveríamos trabalhar de forma mais rigorosa, empenhados e comprometidos em promovermos uma agenda internacional positiva”, disse.

“Podemos reunir países de mentalidade afim em questões globais, regionais e cruciais. Em particular, para elaborar padrões e normas para a prevenção do terrorismo, combate à propagação da ideologia terrorista”, completou.

Putin afirmou que os países do bloco têm uma visão compartilhada em um série de questões, como o combate ao crime que extrapola os limites territoriais. “Temos uma visão compartilhada em uma série de questões, como a promoção da paz e o combate ao crime organizado transnacional. Invariavelmente, temos apoiado as iniciativas de um ou de outro”, observou o Putin.

O presidente Russo ainda enfatizou a necessidade de condenação dos regimes totalitários e citou as tentativas de glorificar o nazismo como uma prática a ser condenada. “Parece-me importante que nossos países condenem qualquer tentativa de se glorificar o nazismo e seus aliados”, disse Putin, durante o encontro.

Putin também ofereceu estreitar a comunicação entre a agência russa de inteligência para ajudar os países a combater crimes de lavagem de dinheiro e recuperação de ativos. Na área comercial, Putin disse que a Rússia está pronta para atualizar estratégias do grupo definidas em 2015 em matéria de comércio e investimentos.

Últimas notícias