Mourão vai à China e entregará carta de Bolsonaro a presidente do país

O gesto é uma tentativa de apaziguar os ânimos após chefe do Executivo brasileiro adotar uma postura crítica em relação à nação

Marcelo Camargo/Agência BrasilMarcelo Camargo/Agência Brasil

atualizado 16/05/2019 12:17

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, vai à China nesta quinta-feira (16/05/19) e entregará uma carta de Jair Bolsonaro (PSL) ao presidente chinês, Xi Jinping. O general participa de reunião da Comissão Sino-brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban). Ele embarca às 15h e fará a primeira parada em Beirute, no Líbano.

O encontro com o presidente chinês está marcado para a sexta-feira (24/05/19), no último dia de estadia de Mourão no país. Aos jornalistas, o presidente informou que levará uma carta de tom “amigável” escrita por Bolsonaro. “É pessoal, com mensagem política, de amizade entre os dois povos, demonstrando nosso esforço para continuar na parceria que a gente tem”, completou o presidente em exercício.

A iniciativa é uma tentativa de romper com uma sequência de desencontros nas falas do presidente com relação aos chineses. Durante a campanha e ao longo do governo de transição, Bolsonaro adotou uma postura crítica em relação à China. Ele e os filhos, inclusive, se mostraram contrariados com parlamentares da bancada do PSL que foram ao país asiático para ampliar o intercâmbio entre as duas nações. Atualmente, a China é o principal parceiro econômico do Brasil.

Em março, Bolsonaro prometeu melhorar as relações diplomáticas com a China ao entregar a Carta Credencial ao novo embaixador do país, Yang Wanming. “A China é muito importante ao Brasil”, disse o presidente ao representante chinês.

Agenda da viagem
A conversa com o presidente do Líbano, Michel Aoun, está agendada para este sábado (18/05/19). Depois, ele visitará a Fragata União, onde terá um almoço. “Vai ser uma viagem longa. Faremos uma escala no Líbano para resgatar nossa força de paz. O presidente vai me receber, vai ser uma conversa normal. Domingo de manhã a gente chega na China para aquele dia de recuperar o fuso horário. A partir de segunda-feira é Xangai e depois as tarefas com a Cosban”, informou o presidente.

Mourão terá encontro com a diretoria do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), fará visita à bolsa de valores da cidade e ganhará recepção em homenagem a ele.

Ele também visitará a Grande Muralha e participará da sessão de encerramento de simpósio por ocasião do 15º aniversário do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC).

Ao deixar o país, ele seguirá para Florença, na Itália. “Vamos a Monte Castelo, lembrando que são 75 anos da força expedicionária na Itália. Meu pai foi capitão na época da guerra, vamos prestar a homenagem e voltamos no domingo”, informou o presidente.

 

Últimas notícias