Ministro sobre inquérito de laranjas no PSL: “Consciência tranquila”

Segundo o titular do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, em pouco tempo vai ser comprovada a "lisura" dele à frente do partido em Minas Gerais

Valter Campanato/Agência BrasilValter Campanato/Agência Brasil

atualizado 03/07/2019 15:19

Após a prisão de um assessor e de dois ex-assessores por suspeita de uso de candidaturas laranjas no PSL de Minas Gerais, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, disse nesta quarta-feira (03/07/2019) que tem a “consciência 100% tranquila”. O político liderava o diretório na época em que a Polícia Federal iniciou as investigações. As informações são do portal G1.

“O que posso afirmar é que, à frente do partido em Minas Gerais, sempre agi estritamente dentro da legislação eleitoral. Jamais orientei ou sentei com qualquer candidato, orientei qualquer pessoa em meu nome. Então, minha consciência é 100% tranquila”, declarou o ministro.

A Polícia Federal (PF) indiciou um assessor e dois ex-assessores ligados ao ministro pelo caso de desvios de recursos por meio de candidaturas laranjas no ano passado. Eles haviam sido presos temporariamente na quinta-feira (27/06/2019), durante a Operação Sufrágio Ostentação II, e foram soltos nessa segunda-feira (01/07/2019).

“Não tenho dúvida de que, num breve espaço de tempo, vai ser comprovada a minha lisura à frente do partido no estado de Minas Gerais. Permaneço tranquilo, trabalhando focado na geração de emprego e renda. O turismo é uma importante vertente da economia e o trabalho continua absolutamente tranquilo, problema nenhum”, assinalou Marcelo Álvaro.

Últimas notícias