Federação da PF apoia Bolsonaro na troca do comando da instituição

Texto foi enviado ao senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que é investigado por organização criminosa

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 09/09/2019 17:48

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) encaminhou uma nota pública ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), na qual declara apoio ao atual chefe do Executivo para a nomeação do Diretor Geral da Polícia Federal (PF). A nota foi enviada ao senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

O mandatário brasileiro tem passado por embates com o comando da superintendência da PF. O delegado Ricardo Saadi, chefe da corporação no Rio de Janeiro, foi substituído no final de agosto. A crise ainda envolve o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

“Reiteramos a confiança no Presidente e a autoridade deste para nomeação e escolha do Diretor Geral da Polícia Federal, e refutamos supostas interferências externas no âmbito da Polícia Federal”, diz o texto, assinado pelo presidente em exercício da Fenapef, Luíz Carlos Cavalcante.

O presidente da República compartilhou a nota, em rede social, no início da tarde desta segunda-feira (09/09/2019). Ele agradeceu o ofício elaborado pela entidade e enviado ao filho.

“Agradeço o ofício da Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF), encaminhado ao Senador Flávio Bolsonaro, na qual reiteram confiança e autoridade ao Presidente da República na escolha do Diretor Geral, bem como refutam supostas interferências externas no âmbito da PF”, destacou Bolsonaro.

A Fenapef representa mais de 14 mil integrantes PF em todos os cargos. Em nota divulgada na quinta-feira, a entidade refutou, “com veemência”, a utilização do nome da “Polícia Federal” em manifestações de cunho político-classista.

A oposição acusa que a troca do comando feita pelo presidente Jair Bolsonaro na Superintendência da PF seja para atrapalhar as investigações sobre Flávio Bolsonaro. O filho 01 é suspeito de integrar organização criminosa quando vereador no Rio de Janeiro.

“Até o momento não se tem notícia de qualquer interferência nas investigações em andamento no âmbito da Polícia Federal, até porque a PF detém autonomia investigativa e técnico-científica asseguradas em lei”, destacou a entidade.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro disse que o comando da Polícia Federal (PF) precisa dar uma “arejada”. Ele ainda chamou de “babaquice” a reação de integrantes da corporação às recentes declarações sobre trocas em superintendências e na diretoria-geral.

Últimas notícias