Eduardo Bolsonaro sobre punição do PSL: “Dê nomes ou fica quieto”

O filho do presidente rebateu colega de partido que disse estudar punição para parlamentares infiéis

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 10/10/2019 15:01

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) reagiu, nas redes sociais, à notícia divulgada pelo colega de partido deputado Júnior Bozzela (PSL-SP) de que o comando da legenda estuda punições para parlamentares que, de alguma maneira, atuarem de forma infiel à legenda.

A infidelidade inclui a ala minoritária da bancada na Câmara que foi ao Palácio do Planalto, na tarde dessa quarta-feira (09/10/2019), dar apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) na briga com o presidente da sigla, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE).

“Dep. @bozzellajr vai me tirar da presidência da CREDN? Vai tentar punir quem é Bolsonaro e depois espalhar outdoorzinho com a sua cara ao lado da do presidente? Se for para falar esse tipo de merda p/ imprensa pelo menos dê os nomes ou então fica quieto!”, postou o filho do presidente.

Como Eduardo aguarda indicação para a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos, a provocação ao colega de legenda foi feita também em inglês. De acordo com informações de Bozzela, o deputado Felipe Barros (PSL-SP), por exemplo, deve ser afastado da presidência da Juventude Nacional do PSL.

Outra punição possível seria a retirada dos parlamentares considerados infiéis de postos em comissões. Eduardo preside a Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, por indicações do partido.

Últimas notícias