“Devemos, em parte, acordo entre Mercosul e UE a Temer”, diz Bolsonaro

O presidente disse acreditar que a assinatura do tratado entre os blocos poderá se observar um "efeito dominó" que atraia outros grupos

Carolina Antunes/PRCarolina Antunes/PR

atualizado 05/07/2019 15:11

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) reconheceu nesta sexta-feira (05/07/2019) o trabalho do governo do ex-presidente Michel Temer nas negociações para se chegar a um acordo entre o Mercosul e a União Europeia. “Como falo publicamente, também a questão do Mercosul devemos em parte a Michel Temer, não vou tirar o Michel Temer fora. Uma negociação que se arrastava há 20 anos, Michel Temer começou realmente a tratar desse assunto com seriedade e depois nós impulsionamos”, disse.

O presidente voltou a dizer que acredita que com a assinatura de acordo entre os blocos poderá se observar um “efeito dominó” que atraia outros grupos.

“Eu convidei o primeiro-ministro japonês para começarmos a namorar aqui um acordo [do] Mercosul com eles”, contou. O presidente participou de solenidade de comemoração do 196º Aniversário da criação do Batalhão do Imperador e o 59º da Transferência para a Capital Federal. O evento foi realizado no Batalhão da Guarda Presidencial, em Brasília.

Bolsonaro também disse a jornalistas que a relação com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é boa e que “está faltando só anunciar o casamento”. “Estamos noivos, saindo por aí, conversando. Talvez ele, como propus no Japão, venha aqui para a América do Sul. A gente vai reunir os presidentes de Argentina, Paraguai, Chile, Peru, Colômbia, porque realmente, pelo que eu sinto, temos um problema chamado Venezuela. Não tem data, não.”

Últimas notícias