*
 

O presidente Michel Temer entrou no último mês do seu mandato e chegou a uma constatação típica de governantes que estão na fase final de suas gestões: “A história do café frio é uma verdade absoluta. Quando o governo começa a acabar, ninguém mais te procura”, disse o emedebista, em evento em sua homenagem promovido pela Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio), em Brasília.

“Café frio” é uma expressão utilizada para descrever o ocaso de um presidente da República à frente do cargo. Isso porque, geralmente, diminui bastante a procura por parte de correligionários, assessores, políticos e até mesmo representantes de outros países. O presidente se prepara para passar a faixa ao seu sucessor, Jair Bolsonaro (PSL), no dia 1º de janeiro.

Temer prefere tratar com bom humor o momento em que começa a arrumar as gavetas de seu gabinete. Segundo ele, o café que lhe é servido ainda é quente. “Aliás, alguns se surpreendem, porque lá na minha sala o café ainda é quente e vem água, porque todos dizem que nem água servem nos últimos tempos”, brincou o presidente.

O emedebista afirmou, ainda, que tem recebido bastante carinho nessas últimas semanas de gestão. “Graças a Deus, além de dizer que lá o café ainda é quente, e olha que falta pouco tempo, tenho me surpreendido agradavelmente com homenagens que temos recebido”, disse, após ser homenageado pela Aprobio.