Bolsonaro repudia invasão à embaixada da Venezuela em Brasília

Postagem do presidente em rede social contrasta com posicionamento de seu filho, o deputado federal Eduardo, que apoia partidários de Guaidó

Foto: Michael Melo/MetrópolesFoto: Michael Melo/Metrópoles

atualizado 13/11/2019 15:30

O presidente Jair Bolsonaro (ainda do PSL) disse em postagem no Facebook que repudia a invasão da Embaixada da Venezuela no Brasil. Apoiadores do presidente autoproclamado do país, Juan Guaidó, entraram no prédio, em Brasília, na madrugada desta quarta-feira (13/11/2019). Guaidó é reconhecido pelo Brasil e a embaixadora nomeada por ele para o Brasil, María Teresa Belandria, disse que informou ao Itamaraty sobre a movimentação. Oficialmente, o governo brasileiro condenou a invasão desde o início do dia.

O presidente primeiro postou um texto mais contundente (veja imagem abaixo), dizendo “Repudiamos a invasão da Embaixada da Venezuela por pessoas estranhas à mesma”, dizia a postagem publicada no final da manhã desta quarta-feira (13/11/2019). Cerca de meia hora depois, a postagem foi apagada e substituída por uma com tom mais moderado, veja:

Reprodução/Facebook

Exigência da ONU
Reportagem do colunista Jamil Chade, correspondente do UOL na Suíça, informou que a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou o Brasil sobre sua obrigação de proteger as embaixadas em seu território, uma exigência da Convenção de Viena. Em seu post, Bolsonaro citou a mesma convenção.

Realizada em 1969, a convenção vale no Brasil por força de um decreto de 2009, assinado pelo então presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Eduardo apoia a invasão
Discordando da posição oficial do pai e do governo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que é líder do partido na Câmara, está fazendo uma série de postagens no Twitter em apoio aos partidários de Juan Guaidó que invadiram o prédio, na 803 Sul.

 

Últimas notícias