*
 

Candidato a vice-presidente na chapa liderada por Jair Bolsonaro (PSL), o general Hamilton Mourão disse que ele e o economista Paulo Guedes vão fazer transmissões nas redes sociais para compensar a ausência do cabeça de chapa nas ruas, uma vez que o presidenciável se recupera de cirurgia feita após ser esfaqueado durante agenda de campanha em Juiz de Fora (MG), na última quinta-feira (6).

De acordo com o general Mourão, a ideia é debater com os internautas temas como saúde, educação, economia e desenvolvimento no “linguajar que o cidadão comum entenda”. “Não temos outra grande saída para o que estamos vivendo. Ele [Bolsonaro] é o homem das massas e esse momento fica prejudicado, até pela questão de segurança”, explicou Mourão.

Segundo o representante do PRTB na chapa, Bolsonaro está em condições clínicas de gravar pequenos vídeos e concederá entrevista ainda nessa semana, de dentro do hospital: provavelmente, por telefone. No entanto, a meta é acabar com a vitimização. “Já deu o que tinha que dar. É exposição que já cumpriu a sua tarefa. Vamos acabar com a vitimização, chega”, disse Mourão.

A cúpula do PRTB ainda não bateu o martelo se Mourão deve substituir Bolsonaro nos debates caso haja autorização expressa. A única definição, por ora, é solicitar a permissão junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A consulta será feita ainda nesta terça-feira pelo presidente do PRTB, Levy Fidelix, via internet.

“Ele [Bolsonaro] tem a forma dele de lidar com os adversários e eu tenho a minha. Tem que pesar se é o caso [ir para os debates]”, ponderou Mourão.

De Brasília, Mourão viajou em avião fretado para Cascavel (PR). Nesta quarta, fará agenda na cidade e também em Londrina, no estado do Paraná.

Na sexta-feira e no sábado, ele estará em Manaus (AM) para cumprir agenda, com carreata prevista pela capital amazonense. Retorna ao Rio de Janeiro (RJ) no domingo e na semana seguinte estará em São Paulo (SP).