Bolsonaro diz que Guedes era “chucro” e Moro, “ingênuo”

Presidente abriu possibilidade de ministro da Justiça disputar Presidência em 2022: "Se quiser sentar, senta"

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 04/09/2019 18:36

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, era “chucro” na política e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, “ingênuo”. Isso, no entanto, antes de ambos chegarem ao atual governo. As declarações foram publicadas nesta quarta-feira (04/09/2019) pelo jornal Folha de S.Paulo.

Guedes foi citado no contexto sobre a relação do presidente com Moro, desgastada nas últimas semanas. Na avaliação de Bolsonaro, o ex-juiz federal não tinha “malícia” da política e, hoje, não passaria no Senado em uma indicação para ser ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em seguida, elogiou o ministro da Advocacia-Geral da União, André Mendonça. “O André é muito bom”, pontuou. A intenção de Bolsonaro é indicar ao Supremo um ministro “terrivelmente evangélico”.

O presidente ainda foi questionado sobre a possibilidade de Moro disputar a Presidência em 2022. “Já falamos, eu disse para ele que essa cadeira de super-homem é feita de kriptonita. Se quiser sentar, senta”, disse. Nos quadrinhos, kriptonita é uma pedra capaz de enfraquecer o super-homem. Bolsonaro já fez tal referência em outras ocasiões.

Últimas notícias