Bolsonaro: “Dinheiro no bolso de ‘ongueiro’ não combate incêndio”

Sobre as queimadas na Amazônia, o presidente disse que "todo mundo é suspeito, mas a maior suspeita vem de ONGs"

JP Rodrigues/MetrópolesJP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 22/08/2019 10:13

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a comentar as suspeitas, mesmo que sem provas, de que as organizações não governamentais (ONGs) poderiam ser as responsáveis pelos incêndios florestais na Amazônia. Ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta quinta-feira (22/08/2019), o chefe do Executivo sinalizou que a intenção seria atingi-lo.

“As ONGs perderam dinheiro que vinha da Noruega e da Alemanha e têm que fazer o quê? Tentar me derrubar”, apontou. Bolsonaro lembrou que foi o governo dele o responsável por acabar com o repasse de verbas às entidades. “Dinheiro no bolso de ‘ongueiro’ não combate incêndio nem planta árvore”, afirmou.

Ao rebater as críticas de que acusou as ONGs pelos incêndios sem provas, o chefe do Executivo afirmou que é difícil responsabilizar alguém no Brasil se o criminoso não for pego em flagrante. “Quer que eu culpe os índios? Os marcianos? Pessoal de ONG perdeu a teta dele e tem indícios fortes, mas não se tem prova disso se não pegar em flagrante”, ponderou.

Bolsonaro criticou ainda a forma como a imprensa tem noticiado a situação da floresta amazônica na mídia e classificou a atuação como irresponsável. “E se o mundo começar a impor barreiras, se o agronegócio der para trás e a economia piorar? A vida de vocês [jornalistas] vai estar tão complicada como a de todos os brasileiros. A imprensa está cometendo um suicídio”, finalizou.

Nessa quarta-feira (21/08/2019), o presidente afirmou a jornalistas que as ONGs seriam as responsáveis pelos incêndios na floresta amazônica. “Todo mundo é suspeito, mas a maior suspeita vem de ONGs”, apontou. O porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, indicou que há denúncias de que as queimadas na região seriam criminosas.

Últimas notícias