Bolsonaro insinua que ONGs colocam fogo na Amazônia para filmar

Presidente afirmou que esse tipo de ação seria uma reação ao fato de o governo ter cortado a verba das entidades

JP Rodrigues/MetrópolesJP Rodrigues/Metrópoles

atualizado 21/08/2019 10:57

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) insinuou nesta quarta-feira (21/08/2019) que Organizações Não-Governamentais (ONGs) podem estar por trás das queimadas na Amazônia, em reação ao fato de terem perdido recursos do governo federal. Esses incêndios podem ter o objetivo de atingi-lo, de acordo com o chefe do Executivo.

Ao ser questionado sobre se teria provas do que estava falando, o presidente disse que não. “Vocês têm que entender que não tem um plano escrito” e “não é assim que se faz”, afirmou a jornalistas ao sair do Palácio da Alvorada.

“O crime existe. Temos que fazer o possível para que não aumente, mas nós tiramos dinheiro de ONGs, 40% ia para ONGs. Não tem mais. De modo que esse pessoal está sentindo a falta do dinheiro. Então, pode, não estou afirmando, ter ação criminosa desses ‘ongueiros’ para chamar a atenção contra a minha pessoa, contra o governo do Brasil”, acusou o presidente.

Segundo o chefe do Executivo, desde terça-feira (20/08/2019) tem tratado desse assunto com o ministro da Defesa e que “tudo indica” que pessoas se preparam para ir à Amazônia filmar e, então, “tocar fogo” na floresta.

Guerra de informações
Para Bolsonaro, a onda de incêndios na região se deve ao fato de o Brasil ser alvo de uma “guerra de informações” e que o governo não está insensível à questão da preservação da floresta. “É um crime e o governo não está insensível para isso”, apontou. “Nós temos uma guerra acontecendo contra o Brasil, uma guerra de informação”.

Desde o início de 2019, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que monitora os focos de queimadas no país, detectou mais de 72 mil pontos, especialmente no Mato Grosso, no Pará, em Rondônia e no Amazonas. O número é 83% maior se comparado ao mesmo período de 2018, um ano atípico por ter sido muito úmido, e o maior dos últimos sete anos.

Conivência
Jair Bolsonaro ressaltou ainda, sem citar nomes, que governadores da região Norte são “coniventes” com o aumento do desmatamento e das queimadas na Amazônia e que alguns deles “estão gostando” e “não estão movendo uma palha” para conter o aumento da destruição.

“Olha só, tem governador, não quero citar nome, que está conivente com o que está acontecendo e bota a culpa no governo federal. Tem estados, que não quero citar, na região Norte, que o governador não está movendo uma palha para ajudar a combater incêndio. Está gostando disso daí”, disse.

“Pergunte a cada governador, se não me engano são sete da região Norte, Nordeste nove, pergunte para a assessoria de imprensa deles o que está acontecendo, o que os governos estaduais fizeram. Tem governo estadual que não fez nada, e pode fazer”, sugeriu o presidente aos jornalistas.

Últimas notícias