Bolsonaro dá “carta branca” para Guedes trocar comando do Coaf

No Palácio da Alvorada, o presidente ressaltou que, apesar da permissão para mudança na chefia da pasta, ele pode vetar a escolha

Foto: Rafaela Felicciano/MetrópolesFoto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 04/08/2019 12:40

Em meio a discussões sobre possível mudança no comando do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) informou que “deu carta branca” a todos os ministros para fazer as alterações estruturais em suas pastas que acharem necessárias. Ressaltou, porém, que, como chefe do Executivo federal, tem o poder de veto.

“Eu dei carta branca a todos os ministros para indicar as pessoas, e eu tenho o poder de veto”, disse neste domingo (04/08/2019) no Palácio da Alvorada.

O mandatário da República comentou que a decisão deve ser do ministro da Economia, Paulo Guedes, e questionou a imprensa por desconfiar do titular da pasta. “O Coaf na medida da restruturação [MP da restruturação dos ministérios] estava com a Justiça. A partir do momento que ele vai para a Economia, o Paulo Guedes que vai definir, ou alguém aqui está desconfiando do Paulo Guedes?”, indagou.

“Se ele quiser mudar, como qualquer um pode mudar qualquer coisa, mude, sem problema”, pontuou.

Guedes tem sido pressionado pelo Planalto a demitir, nos próximos dias, o presidente do órgão de controle, Roberto Leonel, aliado do ministro da Justiça, Sergio Moro. O pedido para a troca de comando teria partido do próprio Bolsonaro.

O chefe do Executivo federal tem se mostrado contrário ao comportamento do Coaf em relação à decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, de suspender investigações que usem dados de controle. A medida de Toffoli ocorreu em resposta a pedido da defesa do filho do presidente e senador, Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), alvo do Ministério Público Federal (MPF) por movimentações bancárias suspeitas.