Bolsonaro a empresários dos Brics: “O Brasil está se abrindo”

Líderes do bloco, reunidos em Brasília, demonstraram interesse de cooperação comercial e de investimentos

André Borges/MetrópolesAndré Borges/Metrópoles

atualizado 13/11/2019 20:38

O presidente Jair Bolsonaro encerrou o Fórum Empresarial dos Brics, na noite desta quarta-feira (13/11/2019), com um discurso de pouco mais de cinco minutos, no qual destacou a abertura do mercado e defendeu a recuperação da confiança do país no exterior.

Também participaram do momento final da programação, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília, os chefes de Estado da Rússia, da Índia, da China e da África do Sul. Todos demonstraram interesse em cooperação para negociações comerciais e de investimentos.

“O governo tem feito o dever de casa para tornar o Brasil cada vez mais atraente para os negócios. A agenda de reformas, que estava há décadas sem solução, o nosso governo vem tornando realidade. Quero dizer aos senhores que o Brasil mudou. O Brasil começou a abrir o seu mercado para o mundo. Com medidas concretas, cada vez mais nós recuperamos a confiança do mundo”, afirmou Bolsonaro.

O presidente brasileiro agradeceu a presença dos demais líderes dos Brics, que já tinham feito o uso da palavra, e direcionou sua fala ao empresariado do grupo de países de economia emergente.

“Por muitas vezes, somos também um cartão de visitas, demonstrando que estamos de braços abertos para cada vez termos um ambiente de comércio mais profundo e mais diversificado. Quem na verdade vai fazer essa integração e esse negócio, na ponta da linha, são os senhores empresários dos Brics”, defendeu.

O presidente chinês, Xi Jinping, destacou, durante sua participação no evento, o que já havia tratado com Bolsonaro mais cedo, em reunião no Itamaraty. “Queremos abrir a nossa economia, aumentar as nossas importações e exportações. Vamos nos dar as mãos para aumentar ainda mais o desenvolvimento dos países dos Brics e dos demais países do mundo”, disse.

Alinhado ao discurso de cooperação entre o bloco, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, foi um dos que fizeram críticas a atitudes protecionistas. “Os países dos Brics tem que se esforçar para não se deixar abater por essas coisas”, pontuou.

Durante a tarde, representantes dos cinco países participaram de painéis do Fórum Empresarial dos Brics, organizado pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI). Os temas foram negócios, economia digital e oportunidades de investimento.

Nesta noite do primeiro dia da cúpula dos Brics, haverá uma apresentação cultural e um jantar em homenagem aos chefes de Estado no Palácio Itamaraty.

De manhã, Jair Bolsonaro se reuniu com o presidente da China, Xi Jinping. No encontro, os líderes concordaram em ampliar a relação comercial entre os dois países e anunciaram a assinatura de acordos bilaterais.

À tarde, o presidente brasileiro recebeu o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, e aceitou o convite para visitar o país em 2020. O Brasil pretende buscar a cooperação em áreas como biocombustíveis e ciência e tecnologia. A Índia declarou interesse sobre processamento de alimentos e agropecuária.

Nesta quinta-feira (14/11/2019), Bolsonaro terá agendas bilaterais no Planalto com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e com o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.

Últimas notícias