Polícia suspeita que pastor foi morto por incomodar facção criminosa

Segundo a polícia, criminosos acreditavam que pastor era informante da polícia e relatava às autoridades os crimes que aconteciam na região

atualizado 17/03/2023 15:17

Fotografia colorida de pastor assassinado em Maceió Reprodução

A Delegacia de Homicídio de Maceió suspeita que o pastor Alisson Anderson Gonlçaves Lins, assassinado a tiros em Maceió (AL) nessa quarta-feira (15/3), foi morto por incomodar uma facção criminosa que atua na região. A delegada do caso, Rosimeire Vieira, declarou que a execução de Alisson está ligada a ameaças relatadas pelo pastor às autoridades no início do ano.

As investigações apontam que criminosos acreditavam que a vítima era informante da polícia.

De acordo com a delegada, o suspeito morto durante uma troca de tiros com a polícia na tarde quinta-feira (16/3), no bairro do Jacintinho, foi o responsável por efetuar os sete disparos de arma de fogo que tiraram a vida do pastor. Outras pessoas que tiveram participação no crime e que estavam dentro do veículo estão sendo procuradas pela Polícia Civil.

Leia a matéria completa na GazetaWeb, parceira do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias