Polícia Militar recolhe fuzis usados pela escolta de Gabriel Monteiro

Vereador do RJ é investigado após denúncias de assédio sexual e moral, estupro e suposta violação de direitos das crianças

atualizado 30/03/2022 16:42

O vereador carioca Gabriel Monteiro, denunciado recentemente no programa Fantástico, posa para foto com fuzil, a noite, em um local isolado - MetrópolesReprodução/ Redes Sociais

Rio de Janeiro – A Secretaria de Polícia Militar recolheu nesta terça-feira (29/3) dois fuzis utilizados por policiais militares que fazem a escolta do vereador Gabriel Monteiro.

O armamento era renovado diariamente, mas foi acautelado pelo 31º BPM, no Recreio, zona oeste do Rio de Janeiro. Em nota, a Polícia Militar disse que o veículo usado pela escolta do vereador foi infracionado e suas placas recolocadas no local. Os dois fuzis foram acautelados na Reserva Única de Material Bélico (RUMB) da unidade.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

A conduta dos dois policiais, um cabo e um segundo sargento, será apurada por agentes da 2ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), que estiveram no 31º BPM, segundo o jornal Extra.

Os deputados Giovani Ratinho (Pros) e Carlos Augusto (PSD) também estiveram no 31ºBPM na manhã desta terça-feira. eles questionaram a cúpula da corporação sobre o motivo de o armamento ser emprestado ao vereador. 

“Quanto às denúncias que recebi contra o vereador Gabriel Monteiro, portando fuzis de acautelamento de forma irregular, eu despachei com o coronel Julio Cesar Veras Vieira e foi detectado no SEI que realmente não vinha dizendo quem poderia ir ao batalhão e retirar essas armas de grosso calibre. Ou seja, ao meu modo de ver, qualquer um poderia vir aqui se estivesse na escolta do vereador e pegar uma arma. Existe uma resolução da PM para que se porte arma de grosso calibre. Precisa de uma documentação específica para fazer a escolta, e isso está irregular”, disse Ratinho ao Extra.

Um carro particular conduzido por um dos PMs foi multado por estar sem placa de identificação. O modelo Jeep Renegade era conduzido pelo segundo sargento Daniel Conceição Carvalhais, que atua na escolta de Gabriel Monteiro.

Gabriel Monteiro é acusado por ex-funcionários de denúncias de assédio moral e sexual, de exploração e constrangimento infantil. 

Mais lidas
Últimas notícias