Polícia vai intimar Gabriel Monteiro após denúncias; MP-RJ investiga

Vereador do Rio é investigado após denúncias de assédio sexual e moral por ex-funcionários, além de exploração e constrangimento infantil

atualizado 29/03/2022 13:58

Vereador do Rio Gabriel Monteiro (PSD)Reprodução/Redes sociais

Rio de Janeiro – O vereador Gabriel Monteiro (sem partido) será intimado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro para prestar depoimento na próxima quinta-feira (31/3) sobre denúncias de assédio moral e sexual, e de exploração e constrangimento infantil.

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) também vai investigar as alegações feitas contra o parlamentar. Ex-policial militar e youtuber, o vereador foi acusado por ex-funcionários, em denúncia divulgada no programa Fantástico, da TV Globo, no último domingo (27/3).

0

De acordo com a delegada Giselle do Espírito Santo, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) em Jacarepaguá, zona oeste do Rio, o vereador será intimado nos próximos dias para prestar depoimento. Ele deverá depor sobre as denúncias de assédio sexual de uma ex-assessora de 26 anos.

Já a 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Infância e Juventude da Capital, do MP-RJ, instaurou inquérito para apurar possível violação de direitos da criança, em vídeo do vereador, exibido nas redes sociais. 

Sobre o suposto uso indevido de funcionários públicos para fins privados, o inquérito foi entregue à 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania da Capital, que vai analisar o caso. 

Já o Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Investigação Penal (CAO Investigação Penal/MP-RJ) informa que aguarda iniciativa de apresentação das denúncias por parte das supostas vítimas de assédio e estupro, citadas na reportagem, para atuação nos casos. 

De acordo com o MP-RJ, nos episódios de assédio ou estupro cometidos contra adultos, é necessário que as próprias vítimas prestem queixa. Por força da legislação e em respeito ao princípio de proteção do direito à intimidade das vítimas, a promotoria só pode atuar nesses casos quando provocado.

Denúncias de ex-funcionários

Pelo menos cinco ex-funcionários apontaram, na reportagem do Fantástico, que o vereador pedia “carinhos”, inclusive nas partes íntimas; alisava uma de suas funcionárias; e proporcionava momentos desconfortáveis.

Além disso, também afirmaram manipulações envolvendo uma criança, nos vídeos publicados por Monteiro nas redes sociais. Nas imagens publicadas pelo Fantástico, ele induz uma menina a dizer que naquele dia “ficaria sem comida” e “era a comida que ela mais gostava de comer”.

Após a exibição da reportagem, o vereador se manifestou em suas redes sociais e negou todas as acusações.

“O Fantástico mentiu muito! A suposta estuprada me procurou para ficar comigo após esse suposto ato. A família da criança está indignada com a reportagem, só estávamos mostrando a realidade da menina que teve a vida mudada. A que alegou assédio cobrou R$ 100 mil para não falar na TV”, disse o ex-PM no Twitter.

“As famílias estão indignadas com a Globo. Antes de gravar, as mães deram o roteiro de vida delas. Fome, abandono paterno, situação de rua. Eu, ao longo do vídeo, vou apenas introduzindo a realidade. Objetivo claro: vocês verem o vídeo e entenderem a real necessidade de ajudá-las. E qualquer pessoa que tem experiência de vídeo sabe que o conteúdo tem que ser cadenciado. Nunca mentiroso. O fato de eu ajudar a criança a falar sua realidade só demonstra minha vontade de elas mudarem de vida”, completou.

Mais lidas
Últimas notícias