Spoofing: denúncia do MPF é “exagerada”, diz advogado de hackers

Advogado Ariovaldo Moreira recebeu com surpresa as denúncias do MPF, sobretudo contra o jornalista Glenn Greenwald

Hugo Barreto/Metrópoles

atualizado 21/01/2020 13:05

O advogado Ariovaldo Moreira, que defende três suspeitos de participar de organização criminosa que invadiu celulares de autoridades, considerou “exagerada” a denúncia do Ministério Público Federal (MPF).

O MPF denunciou nesta terça-feira (21/01/2020) sete pessoas, entre elas o jornalista Glenn Greenwald.

“Olhando a grosso modo, é algo previsível do Ministério Público. Em concurso material, é um tanto quanto exagerado essa quantidade de crimes atribuídos a eles”, disse, em entrevista ao Metrópoles.

Ariovaldo é advogado de Walter Delgatti Neto, conhecido como o Vermelho, e apontado como um dos líderes do suposto grupo criminoso.

O casal Gustavo Henrique Elias Santos e Suelen Priscila de Oliveira também foram denunciados. Eles foram denunciados por participarem das fraudes.

“Vou dar uma analisada para que eu possa inclusive já apresentar a defesa preliminar, a resposta de acusação da Suelen, do Gustavo e do Walter. Mas no meu entender, uma denúncia dessa foi acatada fora de cogitação”, prosseguiu Ariovaldo.

A surpresa: Glenn
O advogado contou que recebeu com surpresas a acusação contra o jornalista Glenn. Ariovaldo defendeu que não houve orientação alguma do repórter. Glenn apenas recebeu o material, disse.

“A única participação do Gleen nisso é que ele divulgou [as informações] como jornalista, com todo o respaldo de uma legislação“, explicou Ariovaldo.

Para o MPF, contudo, teria ficado claro que o repórter norte-americano “auxiliou, incentivou e orientou o grupo durante o período das invasões”.

O defensor explicou que os clientes dele jamais narraram esse “auxílio” do jornalista denunciado pelo MPF. A maior parte do material está sob sigilo.

Últimas notícias