RJ: família questiona suposto suicídio de jovem achado morto em cela

Marcos foi preso pelos crimes de estelionato, fuga de local do acidente e condução de veículo automotor embriagado ou sob efeito de drogas

atualizado 03/09/2019 13:33

Parentes de Marcos Vinícius Gouvea Gomes, encontrado morto na última quinta-feira (29/08/2019) em uma cela da 32ª Delegacia de Polícia, em Taquara, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, questionam o suposto suicídio do rapaz. As informações são do G1.

Marcos, de 33 anos, é dependente químico e foi preso pelos crimes de estelionato, fuga de local do acidente e condução de veículo automotor embriagado ou sob efeito de drogas. O episódio ocorreu em um posto de gasolina, onde o homem teria brigado com um motorista de aplicativo.

De acordo com a Polícia Civil, Marcos se matou enforcado com a própria camisa presa na janela da cela onde estava detido. A família, contudo, contesta a versão dada pela corporação e pede nova perícia no corpo do rapaz.

“Meu irmão tinha 1,80 metro e 90 kg. Como que ele se pendurou na camisa dele? […] O que a gente questiona é o tratamento que foi dado, o que aconteceu de fato na delegacia porque meu irmão entrou vivo, alterado, e saiu morto”, disse Jorge Gomes, de 36 anos.

O advogado da família afirmou que vai procurar o Ministério Público do Rio de Janeiro. O defensor quer saber se houve atendimento médico na delegacia, a forma como o corpo do homem foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) e em que local está a camisa de Marcos utilizada no suposto suicídio.

De acordo com a declaração de óbito do IML, obtida pela reportagem, Marcos teria morrido por “asfixia mecânica”.

Últimas notícias