PF faz operação contra tráfico internacional de armas

Ao todo, 310 policiais federais cumprem 62 mandados de busca e apreensão e 10 de prisão preventiva em nove estados

atualizado 05/03/2020 8:55

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (05/03), a operação Gun Express, para desarticular grupo especializado no tráfico internacional de armas de fogo, acessórios e munição.

Ao todo, 310 policiais federais cumprem 62 mandados de busca e apreensão e 10 de prisão preventiva nos estados do Paraná, Bahia, Rio Grande do Norte, São Paulo, Paraíba, Sergipe, Santa Catarina, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul.

As investigações tiveram início em 2018, quando a PF identificou que armas de fogo eram envidas pelos Correios, escondidas em equipamentos de treino para artes marciais. A corporação identificou os responsáveis pela importação, guarda, remessa e transporte de armas de fogo.

A estimativa da PF é de que o grupo remeteu e transportou, desde 2016, mais de 300 armas de fogo, com um gasto aproximado de R$ 2 milhões na compra do armamento. O pagamento era feito por meio de empresas de fachada, controladas por suspeitos na Bahia e no Rio Grande do Norte.

Os agentes executam também 27 bloqueios judiciais de contas bancárias e aplicações financeiras e sequestro de bens de 26 suspeitos e de uma empresa.

Segundo a PF, 28 pessoas serão indiciadas por tráfico internacional de armas de fogo, lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica.

Últimas notícias