Paraisópolis: primos deram as mãos na fuga da polícia. Um morreu

O garoto que conseguiu escapar apanhou de cassetete dos policiais e chegou em casa coberto de hematomas

Reprodução/Redes SociaisReprodução/Redes Sociais

atualizado 03/12/2019 11:35

De São Paulo – O estudante Marcos Paulo Oliveira dos Santos, 16 anos, não voltou vivo para a casa da avó, com quem morava, após participar pela primeira vez de um baile funk na madrugada desse domingo (01/12/2019), no bairro de Paraisópolis, em São Paulo, onde nove jovens morreram e 12 ficaram feridos.

O adolescente e o primo seguiram a multidão para dentro da viela quando perceberam que foram encurralados por policiais militares após a correria, gritos e bombas. “Os dois seguraram nas mãos, mas se perderam”, conta, sem dizer o nome, uma tia de Marcos, que chegou morto no hospital Campo Limpo, no Capão Redondo (Zona Sul de São Paulo).

Cassetete
O primo conseguiu fugir, mas chegou em casa com diversos hematomas. A tia conta ainda que o sobrinho sobrevivente apanhou de policiais de cassetete. Ela acompanhou a liberação do corpo do adolescente no Instituto Médico Legal (IML) na tarde dessa segunda-feira (02/12/2019).

“Meu irmão vai levar meu sobrinho para fazer exames porque vários policiais bateram muito nele depois que ele caiu”, denuncia a tia.

Os jovens saíram de casa para ir a uma pizzaria com colegas de escola, mas decidiram ir ao baile.