Menina torturada até a morte pelo pai é enterrada no Rio de Janeiro

Segundo a delegacia responsável pelas investigações, a garota foi amarrada e chicoteada pelo pai, o barbeiro Rodrigo Jesus da França

ReproduçãoReprodução

atualizado 05/08/2019 22:25

Mel Rhayane Ribeiro de Jesus, de 6 anos, a menina que, segundo a polícia, foi torturada e morta pelo pai, foi enterrada no cemitério do Caju, na Zona Norte do Rio, na tarde desta segunda-feira (05/08/2019). A mãe da menina, Fernanda Cristina Ribeiro Tavares, repetia: “Eu só quero Justiça”. São informações do Extra.

Mel morreu na última sexta-feira (02/08/2019). De acordo com peritos da Delegacia de Homicídios da Capital (DH-Capital), responsável pelas investigações, a garota foi amarrada e chicoteada pelo pai, o barbeiro Rodrigo Jesus da França. Na ocasião, ela chegou a ser levada ao Hospital Naval Marcílio Dias, no Lins de Vasconcelos, também na Zona Norte, mas não resistiu.

Quando foi preso, Rodrigo confessou à polícia o crime contra a própria filha. Na ocasião, ele disse que havia conseguido a guarda da filha em dezembro do ano passado, depois de denunciar que a menina havia sido estuprada pelo padrasto. Fernanda, por sua vez, negou as acusações e alegou que o homem inventara essa versão para conseguir a guarda da criança e não pagar a pensão alimentícia.

Várias lesões
A perícia constatou diversas lesões no corpo da criança: ausente pedaço da orelha, úlceras no tornozelo e mãos, aparentando que a criança era constantemente amarrada e chicoteada. Em nota, a Polícia Civil informa que “as lesões indicaram que as agressões ocorriam há tempos”.

Laudo do Instituto médico legal Afrânio Peixoto nega a acusação de estupro. Além do pai de Mel, a madrasta, Juliana Mayara Brito da Silva, de 20 anos, foi detida. No caso dela, conforme informações dos agentes, a prisão ocorreu por ser acusada de omitir as acusações.

Últimas notícias