Megaoperação mira milícia que tentou extorquir Polo da Petrobras no RJ

Grupo é suspeito de promover chacina que deixou dez mortos, além de ser responsável por vários homicídios e torturas

Tânia Rêgo/Agência BrasilTânia Rêgo/Agência Brasil

atualizado 04/07/2019 10:23

O Ministério Público e a Polícia Civil cumprem nesta quinta-feira (04/07/2019) mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão contra 77 acusados de integrar uma milícia que atua em Itaboraí, na região metropolitana do Rio de Janeiro. De acordo com a Polícia Civil, o grupo é suspeito de ter promovido em janeiro uma chacina que deixou dez mortos.

A milícia é também suspeita de ser responsável por vários homicídios, torturas, extorsões, desaparecimento de pessoas, roubos, exploração de TV a cabo clandestina e manutenção de cemitérios clandestinos.

Entre os acusados de integrar o grupo, que funciona como uma espécie da milícia que atua em Curicica, na Zona Oeste do Rio, e que seria liderada por Orlando Curicica, estão policiais militares e advogados.

De acordo com o Ministério Público, o grupo começou a se estabelecer na região entre o fim de 2017 e início de 2018, quando passou a controlar comunidades como Visconde de Itaboraí, Areal e Porto das Caixas, que antes eram dominadas pela facção criminosa Comando Vermelho.

Últimas notícias