O massacre ocorrido na escola Raul Brasil, na cidade de Suzano (SP), nesta quarta-feira (13/3), é algo que foge à realidade brasileira, avaliou o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB). O número dois do país disse lamentar profundamente o ocorrido.

“Tem que chegar à conclusão do porquê essas coisas estão acontecendo no Brasil. Isso não acontecia antes, ocorria em outros países”, comentou o vice.

Na manhã desta quarta, um adolescente e um homem encapuzados mataram oito pessoas na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano. Eles abriram fogo contra as vítimas e em seguida cometeram suicídio.

Mourão disse não considerar que a tragédia em Suzano tenha relação com o debate sobre flexibilização da posse e porte de armas, bandeiras do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na campanha, mas destacou que a associação se fará presente na análise do tema.

“Não vejo essa questão. Vai dizer que a arma que os caras estavam lá era legal? Acho que não tem nada a ver, mas sei que a questão vai ser colocada”, declarou.

Para Mourão, entre as possíveis razões para esse tipo de comportamento tem a ver com o uso excessivo de videogames e falta de atenção familiar. Um dos assassinos, Guilherme Talci Monteiro, vivia com os avós e os pais eram dependentes químicos.

“Quando eu era criança e adolescente a gente jogava bola, soltava pipa, e hoje a gente não vê mais essas coisas”, completou. Segundo Mourão, essa é a maior preocupação que se deve ter no momento.

“Pai e mães são obrigadas a trabalhar pelas exigências da sociedade moderna. Nos faltam escolas de tempo integral, onde a criança fique mais tempo”, argumentou.

Mais tarde, o vice-presidente fez uma postagem no Twitter, lamentando a tragédia: