Informante da polícia foi morto por milícia, aponta investigação

O motorista de aplicativo Vanderlei Lima da Silva, de 37 anos, saiu de casa no dia 17 de abril e nunca mais foi visto

ReproduçãoReprodução

atualizado 26/11/2019 12:58

Após investigação, a Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu que a milícia matou um motorista de aplicativo ao descobrir que ele repassava informações do grupo a investigadores. As informações são do jornal Extra.

Vanderlei Lima da Silva, de 37 anos, saiu de casa no dia 17 de abril e nunca mais foi visto. Antes de desaparecer, o motorista enviou mensagem de texto a um policial civil sobre a localização do chefe da milícia, Wellington da Silva Braga, conhecido como Ecko.

O carro de Vanderlei foi encontrado carbonizado às margens do Rio Guandu. De acordo com a investigação, a conversa dele com o policial foi flagrada por milicianos e a vítima, torturada e executada.

O motorista tinha informações privilegiadas, pois era amigo de infância de Jefferson Junio Terra Tavares, braço direito de Ecko.

O chefe da milícia está foragido. Ele assumiu a liderança do grupo paramilitar após o irmão, Carlos Alexandre Braga, o Carlinhos Três Pontes, ter sido morto durante operação da Polícia Civil em 2017.

Últimas notícias