Delegado-geral de SP diz que PMPR se confundiu e nega prisão de Cupertino

Mais cedo, as autoridades do Paraná anunciaram a prisão do acusado, que está foragido há um ano e quatro meses. Informação foi desmentida

atualizado 28/10/2020 14:12

Rafael Miguel (ator)Reprodução/ Polícia Civil

A Polícia Civil de São Paulo, por intermédio do delegado-geral, Ruy Ferraz Fontes, afirmou que a Polícia Militar do Paraná se confundiu ao anunciar a prisão de Paulo Cupertino, acusado de assassinar o ator Rafael Miguel e os pais dele. A informação é do G1.

De acordo com o portal, é esperado um anúncio da PM do Paraná, esclarecendo a prisão nas próximas horas, ao contrário do que foi informado anteriormente.

Mais cedo, as autoridades do Paraná anunciaram a detenção do acusado, que está foragido há um ano e quatro meses.

Segundo o G1, não foram dados detalhes do que teria ocorrido, mas a informação foi desmentida pelos investigadores de São Paulo, onde ocorreu o crime.

Nessa terça-feira (27/10), a Polícia Civil informou que o empresário fez uma identidade falsa no interior do Paraná. O suspeito teria apresentado documentos falsos a um funcionário público da Prefeitura de Jataizinho para solicitar o documento.

Em depoimento, o servidor contou que não se recorda de quando fez o documento e que não sabia do caso. A Polícia Civil, no entanto, solicitou ao Instituto de Identificação do Paraná os papéis apresentados para a solicitação da identidade.

Em julho deste ano, Paulo Cupertino entrou na lista dos criminosos mais procurados pela polícia de São Paulo.

0

Últimas notícias