Caso Marielle: Polícia Federal suspeita de ex-conselheiro do TCE

Relatório da corporação aponta Inácio Brazão por disputa de redutos eleitorais

REPRODUÇÃO/ TV GLOBOREPRODUÇÃO/ TV GLOBO

atualizado 09/09/2019 16:03

O ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Rio (TCE-RJ) Inácio Brazão é o principal suspeito de ser o autor intelectual do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSol-RJ) e do motorista da parlamentar, Anderson Gomes, segundo relatório sigiloso da Polícia Federal (PF). As informações são do jornal O Globo.

De acordo com o inquérito, a disputa por pontos políticos estaria por trás da suspeita do possível envolvimento do conselheiro afastado. Ao analisarem o mapa eleitoral das localidades onde Marielle tinha mais votos, os investigadores perceberam que a vereadora concorria, em diferente pontos, com a família Brazão.

O documento revela ainda que o nome do ex-conselheiro aparece em troca de mensagens entre o miliciano Rodrigo Jorge Ferreira e a advogada Camila Moreira. A dupla teria arquitetado uma trama para apontar o ex-PM Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, além do vereador Marcello Siciliano, como autores do assassinato.

Em um dos diálogos, os agentes destacam que Ferreira é “conhecedor do submundo do crime carioca”, comentando o “curriculum de Brazão, que teria iniciado as atividades empresariais em ferros-velhos, atuando na receptação de carros roubados”. A investigação cita ainda que o ex-conselheiro seria ligado à base operacional do Escritório do Crime.

Últimas notícias