Casal mantinha mulher em cárcere privado há pelo menos 20 anos

A vítima saiu do Paraná para trabalhar como empregada doméstica. Segundo investigadores, ela estava em situação análoga à escravidão

atualizado 25/06/2019 11:55

A Polícia Civil prendeu, na noite dessa segunda-feira (24/06/2019), um casal que mantinha uma mulher de 63 anos em cárcere privado há pelo menos 20 anos em Vinhedo, no interior de São Paulo. Segundo a corporação, a vítima estava em situação análoga à escravidão e era obrigada a trabalhar como empregada doméstica sem receber qualquer salário.

A vítima vivia com a família dos criminosos em uma casa na Rua Espírito Santo, no bairro Vila João XXI, e não tinha nenhum contato com o mundo externo. “Ela tinha um isolamento social absurdo. Não saía da residência, não falava com ninguém a não ser com os autuados”, afirmou a delegada Denise Margarido.

Os policiais foram até o local, a princípio, após receber uma denúncia de estelionato. Ao perceber a presença dos agentes na casa, a mulher de 63 anos pediu ajuda. Eles acharam a situação estranha e conduziu o casal até a delegacia para prestar depoimento. A família da vítima é de Colorado (PR) e já havia registrado, em 1996, um boletim de ocorrência de desaparecimento no nome da mulher.

Ela vivia em dois cômodos e não tinha acesso à rua. Saiu do Paraná para trabalhar como empregada doméstica na residência dos acusados.

O casal, Ecio Pilli Júnior, 47 anos, e Marina Okido, 65, foi preso em flagrante e encaminhado à delegacia de Vinhedo. Os dois foram indiciados por estelionato e cárcere privado. A mulher foi levada a um abrigo municipal.

Últimas notícias